Seja bem-vindo, volte sempre e o último a sair apaga a luz ! :D

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, Brazil
Eu sou Vanessa Provietti, tenho 25 anos, sou carioca, sou loira, sou linda, sou leonina, sou tricolor (é a ordem natural das coisas hahah), sou caçula, sou pequena e esse é um dos meus apelidos também. Sou apaixonada por palavras. Eu amo escrever, violão,judô, praias, chocolate, me expressar, viagens, Deus, a vida e as pessoas que fazem parte dela.

domingo, 29 de novembro de 2009

Um lugar .



A juventude é a fase mais crucial de nossas vidas, não querendo desmerecer as outras as quais admiro profundamente, mas é nela em que descobrimos o quão importante é o que conquistamos, o mundo que ganhamos, os laços que criamos, no que nos tornamos e como nos tornamos. O fato é que por coincidência passamos essa fase no mesmo período que o colegial, e não imagino um lugar melhor para passar dias tão essências em minha vida que na ETEAB.



Parece que foi ontem, que eu entrei aqui, e acho que a imagem que se formou em minha memória, sempre parecera assim. Foi aqui que eu descobri o quão bom é a mistura, mistura de raças, de crédulos, de opiniões e acima de tudo a mistura de valores. É, também foi aqui que eu encontrei aquela sensação de que nunca ninguém riu com tanta freqüência, emocionou-se com certos eventos, dividiu uma única historia, alias, a melhor e ajudou a moldar tantas outras, se importou tanto com a concepção de valores de uma sociedade e sentiu tanta vontade de poder mudar um mundo, criou tantos laços, ou amou com tanta vontade. Acredito que não haverá outro tempo em que minhas convicções serão mais fortes do que agora, por isso escrevo!


Escola Técnica Estadual Adolpho Bloch, nosso paraíso com pouco de inferno, a rotina de segunda a sábado que aprendemos a gostar, por fim, a nossa eterna TERRA DO NUNCA.
Foi aqui que percebi que existem professores que nos ensinam à lição escolar, o que cairá no vestibular, ou a matéria que precisaremos ou não saber lá na frente, mas existem aqueles que nos ensinam mais, nos instruem sobre a vida, esses são hoje considerados meus mestres, aqui percebi que além de profissionais existem grandes indivíduos, que se “corrompem” (no melhor sentido da palavra) muitas vezes, para mostrar que nos valorizam e que tem alguém ali que torce pela gente, esses que às vezes mesmo sem notarmos, sacrificam-se para nos dar a oportunidade que muitas vezes não tiveram, mas que não desistiram, e hoje alcançaram seu lugar e seu sucesso. São esses profissionais que levarei comigo, pois, descobri a importância que cada um em especial tem, e vou além, a importância que cada um a sua maneira cria!


Na ETEAB conheci tantas tribos, absorvi tanto amor e respeito à vida e aos seres humanos, sim, fiz muitas descobertas. E vou lhes contar quais foram as duas maiores delas, a primeira foi descobrir que a única coisa errada sobre o amor, a fé, a amizade, a orientação sexual, a raça, a cultura e a crença, é não os ter!
A segunda é que querendo ou não, algumas coisas e pessoas se vão, a questão é: o que elas nos deixam? Uns vão pensar em bens matérias, psicológicos ou sentimentais. Quando a verdadeira resposta é a saudade de tudo que valeu a pena, que o que toca a gente se eterniza e a esperança de um dia encontra-los novamente!


Eu realmente espero que vocês também possam sentir todas essas coisas boas, ou que possamos compartilhar tudo isso ainda juntos, mas em todo caso,
sei que estará tudo bem aqui. Sei que deixarei essa parte da minha felicidade
e de muitos outros em boas mãos e isso, particularmente, conforta.


Creio que ninguém possa substituir um lugar em um time, assim, como nenhum outro lugar poderá substituir seu lugar em nossos corações. Por isso, ame cada momento em que estiverem aqui, cuidem desse colégio, façam isso por nós!
Essa história pode ter inspirado você, mas a sua pode inspirar a próxima pessoa que vai ocupar um lugar nesse time. E é só!


sábado, 28 de novembro de 2009

Game Over .


Ás vezes, eu acho graça da vida, ás vezes fantasio que isso aqui é virtual estão jogando com a gente, e ás vezes, eu simplesmente a desconheço. Não sei qual das opções dela mais me agrada, só sei que eu gosto, tenho e quero viver!


Viver para ter certeza de que eu “dei com a cara da parede” que a dor foi inevitável, mas o sofrimento opcional. Saber que eu errei, insisti no erro por acreditar na mudança, ai fui tachada como burra, e daí?

Para mim ninguém nasce com defeitos essa historinha de que vem de fabrica é calunia, defeitos são atribuídos, portanto respeite-os. Acredite ou não, alguns se tornam virtudes!

Tenho necessidade do social, e ao mesmo, anseio que se dane essa merda de sociedade!

Sabe o porquê da revolta? É que eu estou cansando de não saber o que é amar, de tomar “pancada” dos que deveriam estar no lado de cá, de estar apaixonada e descobrir que o sentimento é singular.

Às vezes, eu largaria tudo para segurar a sua mão, quem diria eu.

E agora eu estou cansada de sentir as pernas tremer quando você esta vindo, de sentir “insetos” no estômago, de sentir tudo em câmera lenta ao te ver passar, cansada de sentir, sabe? E estou cansada de ensaiar horas para não dizer nada, de depois de tocar em suas mãos saber que vou olhar para trás sozinha, de saber que um contato é capaz de desperta toda minha fraqueza, estou cansada de eternizar uma troca de olhar, de fazer juras nela, e no fim, não saber quem de nós é mais covarde, eu por calar ou você por só fingir.

O pior de tudo é que ainda estou tentando me libertar de você, isso mesmo, só tentando confesso, mas eu vou continuar. Tudo que eu preciso é estar comigo. Antes de te descobri havia aprendido a me amar primeiro, azar o seu, baby.

A piada é que estou gostando de jogo, jogar tem sido minha única diversão ultimamente, para não dizer que eu sou ruim, tenho idealizado nosso empate, caso contrario, não estou afim de uma nova partida, cansei lembra?

O F* é que parece que você conhece meu manual de instruções, então, eu trapaceio para não andar em desvantagens, para que serviriam as regras senão para serem quebradas, né?

É, a verdade, é que eu canso, e ai, é GAME OVER para você!


terça-feira, 24 de novembro de 2009

Let It Be .



Diga o que quiser, eu sou fria, sou amoral e estou “acéfala” quando o assunto é amor. Deixa ser! Deixa estar! Em minha defesa, é o meio que anda me corrompendo,como diria Cássia, “eu sou poeta e não aprendi a amar”.



Estou farta de ver amiga minha chorando por causas perdidas, de ver traição e desculpas, quando ao meu ponto de vista é insegurança e remorso, estou cheia de ver “fulaninho” se auto-consumindo com vícios, quando se tem fome é de gente.


     A verdade, é que eu sou feminista demais para aceitar o “tradicional”, o que a sociedade a muito vem impondo, e o que eu acho, onde fica? Acho que Deus é perfeito demais, me ganhou pelos detalhes, sabe? Nasci na época certa (só lamento por não ter ajudados a queimar sutiãs), sou da época em que mulheres se curtem, trabalham de carteira assinada, na época da tecnologia, que mulheres freqüentam bares, que casar é opcional...

Pode pensar o que quiser, só não diga que eu não tenho sentimentos, posso ter algum bloqueio em demonstrá-los a quem se deve, mas insensível, eu não sou. Tenho sentimentos que não me cabem, tenho pensamentos que se pudesse transmitiria ao mundo, tenho desejos que me consomem e tenho sonhos que te buscam!

     
     Ultimamente eu tenho procurado razões para não estar com alguém confesso e, a merda é que tenho encontrado, por mais que eu conheça a escolha certa, ainda me falta descobrir se é ela que eu quero, sei lá, não estou em busca de contos de fada, mas que se exploda a razão! Seja lá o que for, eu quero dar ao meu coração o que ele merece.


     A diferença, é que estou consciente de que quando o tal do amor chegar, tudo pode acontecer, é mentira dizer que vou estar preparada, ninguém está, mas quando for realmente o meu amor vou aprender a amar, eu sei. E ele? Ele já vem sabendo, eu sinto!

domingo, 22 de novembro de 2009

Efeito !


Na vida poucas coisas fazem real sentido, poucas eventos se encaixam legitimamente ao padrão, poucas pessoas aceitam verdadeiramente os erros alheios, e é assim, que muitos de nós adaptamos-se as regras, perdemos sentimentos, vontades, sonhos e deixamos de dizer coisas que poderiam valer a alguém a quem gostamos e a nós mesmos, para que prevaleçam os valores, as crenças e para fugirmos da dor da renúncia, fazemos a coisa “certa”.


Existem horas em que tudo parece estar fora do lugar, nos deparamos com um vazio, como se por mais que tivéssemos cercados de pessoas, apenas uma nos fizesse falta pelo resto do mundo inteiro, e essa só bastaria!

É, eu coloquei tudo na 1ª pessoa do plural, talvez tentando acertar na língua
Portuguesa, talvez por receio de assumir tamanho sentimento sozinha, quem sabe porque assim condiz, ou quiçá, pela primeira vez na vida, não quero ser egoísta a ponto de querer individualizar algo que, por Deus, gostaria que o mundo inteiro tivesse o azo de sentir, o tamanho efeito que isso tem sobre a gente!


Estranho? Estranho é descobrir o encontro entre o céu e o mar, o que chamamos de horizonte, num único olhar;
é unir o santo e o profano, e ainda sim, sentir o paraíso;
é notar o corpo vibrar com um levantar de sobrancelha;
é me ver sorrindo sem saber o porquê.


Na verdade, não acredito que nós seres humanos conheçamos muito sobre o amor, mas pelo pouco que conheço, sinto que nunca estive tão próxima e que alguém jamais amou tão ferozmente.


Até que, no fundo, descobri que eu sei que aquele amor que parece ser destinado a mim, nunca poderá ser meu. E se hoje, me perguntassem o que houvera do amor, eu o apreciarei como desvaneio. Não um desvaneio qualquer, não apenas um sonho, sabe? É o meu sonho!



sábado, 21 de novembro de 2009

A Viagem .


Era uma vez..

Poderia assim começar essa historia,
eu como a protagonista e quem sabe hoje um anjo como astro.
Nossa historia era como um conto de fadas, mas não existia a plebéia eram apenas princesas.
Éramos o contraste de tudo o que poderíamos ser, natureza desigual, crédulos e raças diferentes, porém mundos paralelos.
Todo dia a descoberta da amizade, até que um dia alguém nos separou, me levaram para o outro lado do mundo e minha amiguinha me tirou.
Como em um filme de terror algo triste aconteceu,
mas nas lembranças ainda existia você e eu.




Certo dia me trouxeram de volta e quando cheguei na porta e gritei o seu nome sua mãe me contou de uma tal viagem e perguntei quando era a volta, a resposta foi que viajou pra muito longe e não iria mais voltar.
Outra vez separadas, mas dessa vez sem volta.
E o que mais me entristece é que eu não tive a audácia de dizer o quanto você era importante pra mim e o quanto eu te amava amiga; tudo naquela época era brincadeira e agora eu cresci, hoje sei o quanto foi bom ter você durante a minha infância.
Na verdade nunca quis despedida, apenas você por muito mais tempo como uma grande amiga.


Agora tudo não passa de sumas lembranças que quero pra sempre levar do nosso tempo de criança. Guardo como recordação às últimas brincadeiras, eu correndo na frente te chamando, você bem mais atrás me pedindo que a esperasse nem sabíamos falar nossos nomes direitos, entretanto tínhamos um jeitinho todo especial de nos chamarmos, a ultima festinha você estava com um casaco rosa com a frente branca cores perfeitas e amizade completa, de quando eu pegava em sua mão com a linda intenção de ajudar e o que mais nos divertia era brincar, correr e pular.
Fantasia de infância, naturalidade de meninas e inocência de criança é tudo que quero levar na lembrança.






Viagem para o paraíso e sem volta,
nela você foi embora, cedo demais.
Espero um dia contigo estar novamente em algum lugar além de tudo, e sinto que esse lugar será perfeito, nesse lugar não haverá separação e para quem amo não direi adeus jamais.
Nesse dia espero mesmo reencontrar você!
Sei que estaremos sempre interligadas de alguma forma.
Espero ter a oportunidade de um dia ficar na lembrança de alguém,
como você que era do bem.
É tão estranho o porquê você se foi tão cedo, no entanto sei que você esta bem agora e imagino que nem tudo acabou, até a próxima vez.
E o resto não sei dizer.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Princesa .



Talvez eu seja uma princesa como meu pai costumava dizer
e ainda trago na lembrança,
talvez toda menina seja uma princesa como eu imaginava quando criança.
Quem sabe meu príncipe virou um sapo!

Talvez o meu castelo ainda esteja em construção,
Onde cada torre tenha sido constituída pelas pessoas que em minha vida passaram.
Quem sabe dessas mesmas pessoas as que em minha vida permaneceram
não se transformaram em minhas fortalezas
e nelas eu deposite todas as minhas riquezas?
Talvez como toda princesa eu necessite de uma tiara
e a minha tenha sido construída de responsabilidades.

Talvez a minha grande paixão seja pelo bobo da corte!
Talvez o meu reino vem sendo edificado por sonhos.
Talvez nunca tenha existido a minha família real,
e isso não me impeça de querer idealizar uma.

Se você passa por todas essas duvidas, não se esqueça,
São meras incertezas, e você sempre será uma princesa!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Então, eu escrevo .

Ás vezes, quando eu me distraio, me encontro sozinha, ou até mesmo, cercada de gente, minhas lembranças me levam ao lugar de onde eu fujo, ultimamente confesso que tenho tentado apenas, nessas horas entro numa certa “abstinência”, me vejo em devaneios, abstraio-me de tudo, “peco”, submergida de recordações, sinto e então escrevo!



E quando a chuva esta caindo lá fora, quando o violão esta calado ao meu lado, quando o filme esta passando na sala, quando meus pais discutem na copa, quando cheguei da viagem mais marcante, quando acabei de chorar horas de baixo do chuveiro, quando achei legal algum instante, escrevo.
Observo, escandalizo, ironizo, e escrevo!

Escrevo por Deus, pela terra, céu e pelo mar, pelos meus,
Escrevo por Capital Inicial, Roberto Carlos, Ana Carolina,
Skank, Cássia, Renato, Frejat..
Escrevo por Martha Medeiros, Cecília, Mario Quintana, Shakespeare,
Brena Braz, Fabiana Borges, Tati Bernardi,Tom Jobim, Augusto Cury, Clarice...
Escrevo pelo Caçador de pipas, Pequeno Príncipe, Meu pé de laranja lima,
Clepúsculo, O Cortiço...
Escrevo por Diário de uma paixão, Quem quer ser um milionário, Um amor para recordar, Em busca da terra, Prova de Fogo...
Escrevo por The O.C, Gossip Girl, Friends, One tree hill…
Escrevo por tudo e todos aqueles que me inspiram, pelo que vejo, pelo que sou, pelo que quero me tornar, pelo que acho graça, pelo que ouço,
por historias que conheci, por segredos que guardei, pelo que calo, pelo que grito, escrevo pelo que, simplesmente, acho, escrevo por tudo e por nada, escrevo por mim, por você e pela vida!


Escrevo por gostar, confesso que amo falar e, o que não sei, eu escrevo, escrevo não por querer apresentar meu talento, não porque apague os pensamentos que quero omitir, escrevo porque em alguns instantes me vejo longe do meio, porque na escrita crio um mundo do meu jeito, as letras me traduzem os sentidos do corpo inteiro, exprimi o que na boca não consigo, porque sinto como se tivesse nascido com o dom da palavra.
E então, eu escrevo.