Seja bem-vindo, volte sempre e o último a sair apaga a luz ! :D

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, Brazil
Eu sou Vanessa Provietti, tenho 25 anos, sou carioca, sou loira, sou linda, sou leonina, sou tricolor (é a ordem natural das coisas hahah), sou caçula, sou pequena e esse é um dos meus apelidos também. Sou apaixonada por palavras. Eu amo escrever, violão,judô, praias, chocolate, me expressar, viagens, Deus, a vida e as pessoas que fazem parte dela.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Se a gente alimentar vira vício !

  
   Já reparou que às vezes a gente promete mudanças e quando vimos que não conseguimos enterrar o que foi feito, fugir se torna a melhor opção?
Eu não me considero uma pessoa decidida, tenho receios de sobras, confesso, e fugir sempre se passa em minha cabeça, se algo não deu certo, se estou me deixando atordoar por algo que não vale tanto assim, se não há opções, eu fujo. Esses dias mesmo, eu pedi para a minha mãe para me levar daqui, queria me mudar. Ficar longe do que procurei para mim, ficar longe de quem ta dentro sim.
   Cada um assimila suas frustrações de alguma forma, uns descontam nos outros, uns fingem deixar de sentir, uns como eu preferem fugir.
Sinceramente, para muitos pode parecer fraqueza, mas no meu ponto de vista não. Fraqueza é não fazer nada, é ficar esperando pelo destino, uma coisa eu aprendi esperar não é fazer.
   Acho ás vezes que o amor é hiper valorizado e por isso psicologicamente nos afeta, mas talvez seja uma visão errada e provavelmente eu mudarei de opinião ali na frente. Contudo, é algo necessário a se ouvir, é algo que precisamos acreditar para se viver. Ás vezes, só acho que sentir é muito mais que falar. E algo maior acontece, todas as partes são revividas em nossos corações.
   Então apesar dos pensamentos negativos, das probabilidades de doer, das verdades que depois de ditas mudam tudo, ficar e encarar nossos receios é melhor do que a vida “confortável” de não sentir nada. Porque tudo se a gente alimentar vira vício.

domingo, 25 de abril de 2010

A alma arranja um porto!


    Passamos à vida toda procurando alguém em quem acreditar, e assim, vamos vivendo um dia após outro, revivendo historias que deveriam ter sido acabadas e buscando em qualquer pequena escrita uma grande lição.

   Às vezes, saímos de nós para embarcar no outro, e fica essa busca incansável, insaturável por outros corpos, novas vivencias, diferentes almas.
É, uma sede insaciável por um novo conto, seja lá, quem for o personagem ou as adaptações necessárias a se fazer. É fato histórico quando há o “encontro ideal de almas” e indiscutível que isso venha acontecer durante toda a nossa existência. Contos podem deixar de ser literários, afinal existe “final feliz”, ou pelo menos eu e você gostamos de acreditar nisso, mas o famoso “pra sempre”, ah, o “pra sempre” é muito relativo, talvez ele até exista, mas não será o mesmo, para sempre.
   Acho que poucas vezes, alguém esteve tão correto em relação a sua escrita, como Vinicius de Moraes ao dizer: “a vida é a arte dos encontros, embora haja muitos desencontros pela vida”. Exatamente, a vida é composta por encontros e há muitos desencontros nela! Tenta focar, o seu desencontro pode vir a ser o encontro de alguém, ou vice e versa.
Às vezes, nós estamos tão felizes, tão realizados com outra pessoa, achamos que nunca estivemos tão juntos, ai surgir o fim, nem sempre o do amor, mas o fim. E consequentemente vem o tempo e muda tudo, muda a gente, e quando menos esperamos acontece tudo outra vez, nem sempre da mesma forma, no entanto acontece.
São os encontros e desencontros dessa vida, lembra?!
   O que eu quero esclarecer é que embora haja tantos começos e fins (seja em todo e qualquer tipo de relação), o recomeço sempre vem e vale muito a pena, não desista de tentar, uma hora sua alma arranja um porto.
Sempre haverá um momento que vale a vida inteira, um instante para fazer o que gosta, aquele alguém que te faz brilhar, a ligação tão esperada, um “eu gosto muito de você” que soa como uma promessa, e vou além, sempre irar existir aquela fé, aquela esperança em ter encontrado alguém que você procurou a vida inteira, ou até mesmo achava que a muito havia deixado para lá, mas existe sim alguém que vai acreditar em você e isso vai bastar!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Se havia opções, não há mais!

    Recordo-me de um dia ouvir alguém dizer: “a oportunidade é careca, depois que a deixamos passar não conseguimos mais segurar pelo cabelo”. Não achei a frase culta, porém nunca desacreditei em sua seriedade. Às vezes nossas expectativas são frustradas, por nosso medo de tentar, por falta de domínio, ou por alguma lamentável decepção vinda de alguém em quem tínhamos confiado. Às vezes não temos perspectiva de absolutamente nada, mas por auto confiança, por uma força infindável vinda de um sonho, ou por alguém que não esperávamos muito, alcançamos uma grandeza e seguimos em frente. E tudo isso ao meu vê se resumi em oportunidades.
    Receios vêm de todas as formas, jeitos e tamanhos. Às vezes nosso receio é pela conseqüência do que fizemos, ou pelo que não conseguimos fazer.
Muitas vezes temos pressa para crescer, amar, conhecer novos lugares, seguir em frente, ás vezes apenas por fugir, sempre achamos que fugir é o bastante para alterar o rumo de nossas vidas. Mas eu digo, corra riscos, apague o que foi escrito para você, escreva por cima, crie sua própria historia e coloque no seu coração. Pois o jeito que você se sente pode nunca vir a mudar, mas sua historia, suas escolhas, sua maneira de encarar a vida, é você que faz e muda com você e não há nada que possam fazer para te tirar isso.
    Sonhos interrompidos é parte do que ele é, não importa se ele é pequeno ou grande, acredite nas possibilidades, os sonhos continuam presentes de alguma forma estejamos acordados ou não. E você pode não mudar o que fez, mas novas oportunidades batem à porta, por isso construa o que você será.
Nunca se sabe à hora de preparar o coração, então grite DANE-SE não tem porque tentar parar sua coragem, sua sede por vivencias, ou sua fome pelo que ama, não tem como retroceder para alcançar chances que não fora “bem-vindas”.
    O inesperado sempre acontece. A vida pode nos surpreender, a cada impulso que a gente dá e podemos fascinar a nós mesmo. Se você tocar o infinito e não estiver preparado, não importa o que perca ou ganhe, mas sim sua felicidade em um dia ter desejado, sua ousadia ao aceitar expor e sua determinação por ter vivido. E se não fizer diferença a alguém, é porque esse alguém nunca foi suficiente para com tuas aspirações. Há verdades que uma vez dita muda tudo. E se havia opções, não há mais!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Heróis também morrem !

  

  Havia um homem que apesar do começo mal, teve uma vida digna, com amigos, filhos, mulheres e netos. (Afinal, isso é muito do que os seres esperam, não é?!)
Ele tinha seus princípios, costumes, suas marcar de corrupções feita pelo meio, suas crenças como qualquer bom homem, valores que os outros feriram, mas que nada foi capaz de tirá-los.
Esse homem foi o pai da minha mãe, meu avô e acho que poucas vezes senti tamanha soberba em pronunciar a palavra, talvez porque às vezes a gente senti uma alegria maior ao lembrar que apesar do caos que anda o mundo, ainda existem as boas origens e eu tenho orgulho das minhas. Eu disse “foi um bom homem” porque ele acaba de partir, partir para esse destino complexo, talvez um milagre, talvez a última opção, que é a morte. E ele se foi dormindo, então sinto gratidão, porque ele merecia um bom fim!
   Durante sua vida ele vivenciou traições, seduções, casamentos, teve filhos, lutou o quanto foi necessário para protegê-los, para transmitir valores, acho que fez um bom trabalho, sabe? Ele teve netos os quais cuidou como filho, teve amigos que apesar da falta de lealdade de uns não destruíram sua busca pela amizade. Teve amores que apesar da traição não deixaram de ter importância e lhe deixarem uma parte bonita em sua historia. Ele teve filhos que os admiram muito, e uma filha que chorou como uma criança, uma criança crescida, então eu tive fascínio pelo quão especial esse homem foi e que, certamente, ele deixou uma boa historia aqui, ele teve um grande papel no teatro da vida. E acredito que quando a gente tem uma boa passagem, quando deixamos saudades, fazemos à diferença, a gente continua vivo de alguma forma, isso é o pouco que eu concluo de mortes.
   Entretanto, ele morreu com um mal chamado “Alzheimer”, e isso é intrigante, porque eu me importo tanto com fazer historia. Será que ele lembra sua importância nas vidas alheias ou o quanto essas vidas tinham na dele? Será que ele teve ciência em alguma parte da sua memória de que ele sim pode ir em paz?
   Nessas horas eu percebo que tem algum sentido dedicar nossas vidas a outras vidas, porque a gente pode não ter monumentos em nossa homenagem, mas é extremamente gratificante olhar para trás e ter historias para contar, saber que vão sentir saudades da gente, ser herói por ter um fim memorável, é ser monumento em alguns corações!
Agora olhando para a minha mãe, concluo que ele foi um bom amigo, bom pai, um bom homem e que os heróis também morrem. E espero apenas que nesse momento o mundo para ele tenha sido cheio de maravilhas.




sábado, 3 de abril de 2010

Levantando Vôo .

  

  Agora sei qual é a sensação de um pássaro numa gaiola, pois minha casa nunca me pareceu tão pequena, ando para lá e para cá, as pareces do corredor tinham que ser brancas? Acho que pela primeira vez eu raparei a tonalidade dessas paredes com tanta intensidade, o branco traz a sensação de vazio e parece que o vazio está me sufocando, não o vazio da casa, esse aqui dentro de mim.
Parece que meus familiares são estranhos, eu olho um ao telefone, eu ando e tem outro no vídeo game, outro dormindo, outro comendo, e me sinto sozinha, isso sozinha porque eles notam que eu estou agoniada, eles não podem fazer nada e tiram suas conclusões, quando é insignificante, e só serve para me frustrar ainda mais.
Eu não queria ficar sozinha, vazia, gosto da multidão, gosto de estar junto, de me sentir ao lado, gosto de pensar alto e não me importar com o que vão entender sobre o que ouvir. Eu quero rua, quero vida social, mas é sábado de aleluia, é foi essa a desculpa que usaram como alpiste para me acoplar no alçapão. A diferença é que o pássaro aqui fala e então vim gritar o IBAMA.
   Eu quero levantar vôo para ver quem vai pegar carona, quero ter pelo que agradecer no final do sábado, mas não tem sentido algum ficar “engaiolada”, eu quero respostas!
Sábado santo, para quem? A humanidade a muito já vem do pecado, e o significado vale para semana toda, ou deveria. Muitos não estão se importando com as dores de Maria, sentidas num dia como esse, com a aparição do anjo ou até mesmo com a ressurreição de Jesus amanhã. Mas estão se importando visivelmente com a qualidade do chocolate. É hipocrisia negar, eu mesma parei para pensar a respeito disso agora.
No meu ponto de vista, a páscoa, semana santa, deve sim ser lembrada, comemorada, mas não é justo fechar os olhos o resto do ano inteiro (até chegar o natal, desculpa), sobre a existência de Cristo em nossas vidas,
sobre o plano de redenção para que tivéssemos a oportunidade de alterarmos o nosso passado.
Entretanto, ainda estamos aqui vivendo como os nossos pais. Absorvendo o que os outros homens falam, ensinam ou impõem. Na verdade, ninguém entende nada e eles nunca vão saber. E me pergunto se assim será com toda a gente da minha idade, mas tenho ciência de que nem todo mundo tem o mesmo que dizer das suas vidas.
   Então me sinto grata, por ser um pássaro livre em meio a tantos caçadores, um pássaro livre em meio a um ar tão poluído, por ter uma gaiola digna apesar do vazio, me sinto grata por na maioria do tempo ter essa história tragicamente romântica, porque não tenho queixas a fazer de todo o percurso que fiz até aqui, das vezes que peguei atalhos, dos abismos com tamanhas aventuras, e dos lugares e, pessoas aonde a vida tem me levado, por algum motivo.
   É, cantam que “sábado à noite tudo pode mudar”, vou esperar.
Enquanto as minhas perguntas, elas não abalam minha fé, definitivamente, eu aguardos as respostas, e posso parecer impulsiva, idealista, fantasiadora, relapsa, louca ou qualquer coisa assim, talvez eu seja, , acredito que tudo é possível, basta você ter fé, nada é tão lindo quanto sonhar.
O vazio agora está preenchido, por pensamentos, vontades, transmissão e pela escrita,
finalmente levantei meu vôo, sinta-se a vontade se quiser acompanhar!