Seja bem-vindo, volte sempre e o último a sair apaga a luz ! :D

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, Brazil
Eu sou Vanessa Provietti, tenho 25 anos, sou carioca, sou loira, sou linda, sou leonina, sou tricolor (é a ordem natural das coisas hahah), sou caçula, sou pequena e esse é um dos meus apelidos também. Sou apaixonada por palavras. Eu amo escrever, violão,judô, praias, chocolate, me expressar, viagens, Deus, a vida e as pessoas que fazem parte dela.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Agri-Doce Novembro


Talvez eu nunca tenha contado. Embora você sempre goste de recordar cada detalhe daquela ''primeira vez''. (E você sempre começa no dia que sua curiosidade estranha fez nossa amiga em comum abrir uma foto minha no facebook dela.)
A nossa primeira vez. Aquela noite de um novembro qualquer. Uma sexta costumeira. Num estado de espirito desesperançado. Alguém me chamou para sair. Devido a uma busca incessante de obter qualquer válvula de escape, fui.
E a noite não passou de noite. Cheia de luz fluorescente. Bebidas. Gente. Indi-gente. Até que no meio de toda essa gente, apareceu um olhar. Um olhar-você. Intrigante olhar, des-conhecido, e ao mesmo, tão encontrado. Notável e profundo olhar. Um olhar de quem por algum motivo parecia me conhecer. Sem eu nunca ter sequer olhado. Foi a primeira vez que meu olhar se perdeu no seu. Nesse olhar então me enxerguei em ti e te enxerguei em mim. Clichê. Eu sei.
A noite começou ali, por algum motivo meu corpo conhecia o desconhecido. E eu que já não enxergava nada, só notava você. E seus olhos que eu encontrei perdidos, parecia presente em mim. Não troquei palavras, não me apresentei como de costume, mas já te conhecia, eu sinto. E sua timidez deu asas a um assunto, que sorte a minha estávamos no mesmo grupo. (Mentira. Despertou meu interesse, só usei essa desculpa para parecer difícil.) Passamos a nos corresponder. E alguém se interessou por você até avisaram que você era diferente, você não beijava ninguém em boate. Mas não, não era isso que mantinha meu interesse. Era curiosidade, mistério talvez.
Outra vez sorte a minha, fui pegar bebida e você quis ir buscar também.
Você deve ter me achado estranha, e confesso, me achei retardada.
Mas por algum magnetismo, força ou combinação, no meio de toda aquela gente, minha mão deu a mão para sua. (Ironia, creio que a minha felicidade já tenha feito isso a anos.)
E na volta, no meio de tanta luz fluorescente, eu só enxerguei seu olhar fixando no meu, por algum motivo eu quis ser dona dele, e você foi a primeira coisa boa do meu semestre inteiro, era aquele olhar a razão do meu meio sorriso. Mil vezes eu beijei você. Seria só mais uma noite, se não tivesse tocado a alma.
E a gente nunca mais se desencontrou.
E hoje 6 meses depois eu estou aqui, tendo o imenso prazer de narrar isso, você beija meu meio sorriso e hoje é a dona do meu sorriso inteiro e eu amo contemplar o teu olhar profundo. E eu consigo enxerga a gente até com seus olhos fechados. Explicação? Devia ser amor, antes de ser. Obrigada! <3