Seja bem-vindo, volte sempre e o último a sair apaga a luz ! :D

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, Brazil
Eu sou Vanessa Provietti, tenho 25 anos, sou carioca, sou loira, sou linda, sou leonina, sou tricolor (é a ordem natural das coisas hahah), sou caçula, sou pequena e esse é um dos meus apelidos também. Sou apaixonada por palavras. Eu amo escrever, violão,judô, praias, chocolate, me expressar, viagens, Deus, a vida e as pessoas que fazem parte dela.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Let's to try! :)





"Não se esqueça de que você vai falhar 100% das vezes em que não tentar, vai perder 100% das vezes em que não procurar, vai estacionar 100% das vezes em que não ousar caminhar." (Augusto Cury)




Tenho mantido maior presença aqui esses dias, né? Devem ser as primeiras dúvidas, ou certezas do ano, vai saber. Na verdade, eu me expresso melhor por aqui, me sinto a vontade mesmo sabendo que pode ter mais gente sabendo do que deveria. Enfim.
Vou escrever de verde porque essa e o vermelho são suas cores favoritas, porque é a cor da esperança também, mentira, nem sou supersticiosa, você sabe. É, você me conhece, no mínimo mais que minha família; e eu? a palavra que você vai usar pra me responder, seu passado, suas caras, seu sorriso, suas piadinhas previsíveis, o carinho pelos seus,  enfim, conheço você o bastante pra saber o quanto você é especial, um fato.
Tenho sérios problemas com sentir mais do que demonstrar. Me entupo de boates, festas, nigth, gente, e fica sempre o pós vazio, permanece sempre a saudade de você, e eu vou sempre dormir com ela, acredite ou não, é sim - de você. Eu também já julguei, assim como provavelmente você está fazendo agora, ser carência, enjôo da rotina, dor de cotovelo, medo de perder, insegurança e até egoísmo, entretanto, se fosse alguma das alternativas acima certamente teria passado.
Sabe, só queria te dizer algo que te alcançasse, que te mostrasse que eu quero mudar, que quero tentar e acima de tudo que hoje eu tenho certeza que o que quero é você, é com você, por você, contudo, eu simplesmente não sei falar sobre isso, ou talvez saiba, mas não tenha mais convicção de que faria alguma diferença, tocar no assunto, imagino que seria uma tentativa frustrada, porque provavelmente você fugiria dele e eu com meu orgulho maldito não saberia insistir e terminaríamos em piadinhas, pra variar.
Olha, eu quero me desculpar com você, antes de tudo, saiba o que isto está sendo dificil pra mim, mas vamos lá, acho que não tenho te dado toda a importância que você merece e  faz algum tempo que eu tenho notado isso, embora, não faça nada para mudar, reconheço. Por mais que eu não saiba conviver, acho que tenho aceitado, não sei mais o que fazer, não dá pra fugir disso, acho que uma das tantas coisas que temos em comum, é a consciência das "rasteiras da vida", de que tudo na maioria das vezes acaba como ela quer. Sempre quis muito a liberdade e isso nunca deixou de ser notável em meus relacionamentos anteriores, esse deve ser um dos motivos de eu não ter namorado desde quando você me conhece, não estou desmerecendo meus relacionamentos anteriores que isso fique claro, porem acho que se juntar todos eles eu não teria crescido o quanto eu estou crescendo num relacionamento que nem tive ainda com você, e dentre tantas descobertas, a mais contemplativa foi que hoje eu tenho os céus,  tenho asas, tenho liberdade, entretanto, só aprendi a usa-las quando percebi que liberdade é poder voar e permanecer no porto; é poder ir e vir e querer ficar, e não, não é um vôo livre com amigos, é um salto maior e com quem a gente gosta.
A verdade é que fico confusa com isso tudo porque não estou acostumada e, não nego que fico assustada porque é tudo muito novo. Eu poderia lembrar que apesar de tantas “merdas” feitas, magoar não tenha sido a minha intenção, não mesmo, menos ainda em relação a você, mas seria previsível porque você tanto quanto eu sabe disso. Sempre tive admiração pelo seu jeito, cuidado com a nossa amizade, um enorme carinho por você, infelizmente, só percebi a dimensão do quanto te quero há pouco tempo. Sei também que você ainda gosta de mim, e mesmo que não como antes, é bom saber que eu ainda existo, direta ou indiretamente, pra você. Imagino que seus amigos assim como alguns do meus dizem para que não fique remoendo e faça algo, e outros te dizem pra seguir em frente, espero que assim como eu, você também não queira, e eu não entendia, mas hoje sei que gosto de você o bastante pra não querer mais continuar sozinha, o bastante para caminhar ao lado, o bastante para qualquer passo a frente; e você não segue em frente porque acredita que podemos ser felizes, então aceita isso! Rs
Eu gostaria te pedir desculpas por tudo o que te fiz passar até aqui e te agradecer por passar por isso por mimVamos viajar amanhã, eu irei pra Minas Gerais e você pra Mangaratiba, não sei como voltaremos, mas de verdade, sem egoísmo, queria que você levasse todas essas informações na bagagem, eu não quero aceitar a idéia de que semana que vem ainda estarei longe de você por não ter tentado, por você não saber de tudo que está acontecendo por aqui. Não estou suplicando sua volta até porque pra mim você nunca se foi, mas por favor.. 
Fica, fica por tempo indeterminado?


                  Eu te gosto, eu te quero, eu te preciso! 

terça-feira, 22 de março de 2011

Amor de Cú é Rola!




Dizem “Sorte no jogo, azar no amor.” Eu sempre achei teoria, até conhecer a prática.
Falam sempre muito bem do amor, porém sem querer fazer intriga é bem estranho algo ser tão bonzinho e publico, sem preferências sócias, físicas, econômicas.
Podem me chamar de mal amada, insensível, até mesmo de “vadia”, se preferir.
Agora, arrogância é insistir onde não se tem mais fé.
Seria hipocrisia negar que eu assim como todo ser humano, não tenha tanta esperança nisso, até porque é o que move os olhos, a alma, a vida, o mundo. E há tantas formas.
Entretanto, a gente cresce e parece que vai perdendo o encanto, ao invés de dar, se exige.
Sempre imaginei um dia em que me perguntassem sobre o amor e ao invés de chutar,
eu saberia.
Ah, gente, sinceramente, cansei de desenhar coração no chão pra ver se eu alcanço!
Talvez o problema esteja em mim, impulsiva, complicada, às vezes até “insegura”, hoje eu diria até mais uma na juventude frustrada - hoje,
 mas quer saber cansei de por outras pessoas em primeiro lugar. Cansei de levar em conta essas conversas moles, frases prontas, de ver gente desfilando de casalzinho de dia e a noite na mesma roda de “pegação” que eu na lapa, cansei de ver gente, envolvendo mais gente, e alimentando esse ciclo vicioso onde a aglomeração é tanta que já não se cabe amor.
Está aí, to apoiando a causa “Vanessa, tem coração de vidro.”
E que agora sim, não se preocupem com o que foi tombado e quebrado, em contrapartida, tome cuidado pra não se cortar.
Sei que virão os próximos sorrisos, palavras repetidas, até o tal milagre, se você acreditar talvez seja questão de virar a esquina, mas na boa, a pior coisa que eu aprendi a encarar foi “o que poderia ter sido”, escolher o caminho certo nem sempre é mais fácil, eu prometo que tentei e tentaria de novo, mas é chato quando você se vê “remando” sozinha, sei que muita gente já se sentiu inábil assim por minha culpa, se faz diferença, desculpa nem foi a intenção, mas às vezes que eu tentei remar junto, eu só quebrei  a cara - oh, que como a insensível as vezes foram poucas.
Cansei de abrir coração e mente pra possibilidades, estou no tempo da certeza. E daqui a algum tempo alguém do que a cássia escreveu “eu sou poeta e não aprendi a amar”, e vai sentir certa carência de ambas as coisas, entretanto, se for pra deixar algo bom nisso tudo, pinte por cima das palavras que ela e eu escrevemos, significa que deveria ir atrás de qualquer coisa que te empolgue, ao contrario de que você deve deixar seu coração partir, mas sim que tudo o que você esperou a vida toda continuará lá, apesar de ela, eu e você ignorarmos, a faísca se manterá, o brilho de algo inegável abaixo da superfície. É, isso deve compor o amor, se você acreditar com todo seu coração. Eu? Fechada a visitações, meramente cansei!
E até que ele me prove o contrario, continuarei a falar mal dele: AMOR de CÚ é ROLA!

sábado, 19 de março de 2011

E esse é meu (:



Estava lendo depoimentos, até que achei um bem especial.
Há mais ou menos um ano atras eu conheci alguem num chat, esse alguém se tornou especial, e foi ficando, dizem que ninguém entra em nossa vida à toa, e menos ainda por acaso fazemos questão de que permaneça, só posso dizer que desde então é raro ficar um dia sem ter contato com esse alguém.
E tudo começou assim, uma música feita pra mim. rs


" Tempo de mudanças
Mudanças na vida
Apaguei várias lembranças
Até as mais escondidas.
No meu peito, do lado esquerdo
tudo zerado
Na minha cabeça, sigo sem medo
por todos os lados
Vivo de conhecer pessoas
umas boas, outras não...
Paro pra conhecer melhor algumas boas
As más que fiquem onde estão
Que bom que do nada aparece gente assim
que nem você
É o q basta pra mim
pra continuar a conhecer, viver
Calma, o assunto não é paixão
Não é amor
É um pouco coração
Amizade, flor "


Um dos maiores presentes que eu já ganhei,
e o legal? É que esse é MEU.
Obrigada de coração! ;)

terça-feira, 15 de março de 2011

Então, está aí, esse é seu.



Acordei um dia com chuva. Faculdade. Transito. Perdi um mini-teste, mas não o bom humor, amém.
Sabe, acho uma 'puta' de uma hipocrisia virar e dizer que eu não me arrependo de nada que faço, me arrependo sim de muita coisa que eu fiz e de tantas outras que deixei de fazer.
Ontem numa tentativa frustrada de manter um dialogo com alguém que talvez hoje ocupe um dos lugares mais especiais, romanticamente falando, pra mim. Eu ouvi um "eu gosto de você e você sabe", eu nem tinha tanta convicção do quanto eu queria ou talvez precisasse ouvir isso, bem mais do que aquele "eu to gostando de você" à mais ou menos um ano atrás, não que tenha tido menos importância sabe, mas pela diferença que teve, diferença que eu posso até explicar, antes foi surpresa e eu estava com outro alguém, antes eu o via como uma grande amizade, quase um ano se passou e hoje eu tenho motivos pra te lembrar e rir dentro de um ônibus, hoje eu sei o gosto do teu beijo, o respeito do seu toque; sei como é seu fechar de olhos por estar comigo, o quanto te abraçar traz serenidade, paz;
sei porque eu tenho sentido falta da tua voz ao telefone falando coisas sem nexos me matando de rir, de ouvir seu dia e contar o meu; sei a habilidade que você tem de me irritar, nada comparada a de me fazer sorrir, de me fazer se sentir especial, da sensação de estar com a pessoa mais bonita da festa, da impressão de ser a pessoa mais feliz da noite; sei o que é negar outro por sentir por você, o que é me drogar de outras pessoas e pensar no quanto eu preferia estar contigo; sei como a gente se dá bem juntos e como a pessoa mais simpática do mundo (depois de mim claro), deixa vir a tona a timidez por qualquer coisa sem jeito;
Sei porque apesar do nosso orgulho iNdiota, eu cresci com você, eu cresci pra você, eu cresci por você; sei o que é ouvir uma musica e dizer que ela pertence a alguém, o que é imaginar coisas bobas, toscas e não ter duvida de quem você quer ao lado; sei o quanto eu te fiz mal mesmo que sem querer, e apesar, você não desistiu de mim; sei o que é passar uma semana esperando te ver sei lá no final dela, em qualquer lugar, qualquer dia desses. 
O que eu tanto queria saber e não sei, é o motivo de você gostar de mim, eu gostar de você e ainda sim não fazermos nada com isso.
Hoje por perceber que há muito de você nas minhas gírias, nas minhas graças, na minha vontade de viver, na minha falsa liberdade, hoje por te ouvir dizer “manter-se afastada, não significa que a pessoa goste menos”, é que eu percebi que por estar te perdendo e, ao mesmo, aqui dentro te vendo crescer - você como todos os outros - mereceu um texto meu. Então, está aí, esse é seu.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Carnaval, março 2011.

 

Carnaval. Sai todos os dias. Blocos, amigos, chuvas, frio, calor, novas amizades, gargalhadas monstruosas, musicas, bebidas e mar. Sem pegações, num estado definitivamente “desinteressado”. Sem duvida alguma um dos melhores carnaval que eu tive até então.
E teve um dia desses que eu me despedi de um passado bom, talvez pra ter tamanha convicção de que é passado, outro dia tive aquela sensação de ter sentido uma saudade que eu não tinha ciência - e acredite ou não, nada premeditado; tive a sensação de entre dois dias você pode completamente mudar seu foco sentimental, basta que o "Dominante" compareça pra você ter certeza que o passado é "recessivo" e explique a minha culpa por ter se ausentado. E mesmo sabendo que ao ter as duas "presenças" num mesmo período de 72h e saber que a conseqüência seria não continuar com nenhum.  Esses dias ainda sim foram o que se chama de “estado agudo de felicidade” e, sinceramente, foda-se se é egoísmo, mas eu quero é ser feliz!
Me superei nesse ano, alegria total, explosão de hormônios femininos!

Mesmo que confusamente, eu senti - sim, tenho carência disso às vezes – e não importa o quanto tenha durado. Acho que tínhamos tanto para falar e deixar o direito ao silencio falava mais alto. 
Talvez num futuro bem próximo me arrependa disso, mas hoje entendo que é melhor assim.
Apenas me pergunto até quando a gente vai ficar evitando, quando isso tem fim e é justo a gente continuar mesmo que inconscientemente se esperando?
Eu só to cansada de me drogar de gente, crescendo um ciclo com sede do que não se dispõe. Assim como você deve estar fatigante de ter que representa algo que não senti e não é. Na minha opinião, mais importante do que quem somos, é como nos tornamos. Se isso for contra a natureza, licença, talvez eu tenha um encontro com o Diabo!



         Obs.: Sim houve alterações no texto, porque por algum motivo maior meu carnaval ainda não havia acabado, e acho que a vida é muito disso, mudanças. Se tiver que apagar, apague; se tiver que reescrever, reinvente. 
Se tiver que torcer? Xoxo, "recessivo" GAME OVER pra você.