Seja bem-vindo, volte sempre e o último a sair apaga a luz ! :D

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, Brazil
Eu sou Vanessa Provietti, tenho 25 anos, sou carioca, sou loira, sou linda, sou leonina, sou tricolor (é a ordem natural das coisas hahah), sou caçula, sou pequena e esse é um dos meus apelidos também. Sou apaixonada por palavras. Eu amo escrever, violão,judô, praias, chocolate, me expressar, viagens, Deus, a vida e as pessoas que fazem parte dela.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Vem dançar comigo?


Quinta Feira. 29/08/2013. Está indo agosto que pareceu durar 2 anos e vindo setembro, as únicas preces, é que seja doce, traga tudo o que agosto levou e mais!
Em meio a tantas descobertas. Pessoas. Night. Bebida. Uma busca incessante de trazer o que foi bom depois de tantos dias ruins. Gente, muita gente. Música alta, apenas para abafar os ruídos que meus pensamentos tem posto em ultimo volume. Amnésia alcoólica, afim de tirar da memoria tantas coisas que pesam e ela não permiti esquecer. Por fim me sinto leve. Divertida. Moleca. Com uma auto estima no céu. Forte. Pronta pra próxima dança. Mas diferente de tanto tempo atrás, me sinto segura. Com pés no chão. 
Tendo plena convicção de que não importa o quanto a balada esteja bombando, vai ter uma hora que vou deixar de querer  
estar segurando um copo e ir segurar uma mão!  Vem dançar comigo? 


quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Re-compensa.


Quinta feira. Um dia como outro qualquer. Em meio a um turbilhão de pensamentos e emoções. Uma profissão reconfortante.
Confesso que foi um sacrifício levantar às 5 horas da madruga, porém ao chegar naquele CTI, não imaginava a recompensa que teria em me sentir útil na vida de pessoas que precisam da minha ajuda de verdade, em um momento deixar aquele defeito humano de achar que o mundo gira em torno de mim, e poder esquecer dos meus problemas (que hoje afirmo tão pequenos, fúteis e mesquinhos) para estar em prol de alguns entre a vida e a morte, pessoas que talvez naquele momento gostariam de ter a força, saúde e tempo para simplesmente viver.
Hoje em um dos leitos após preparar a medicação, ouvi a supervisão dizer: as medicações dele foram suspensas, agora é só sedativo para que não sinta a dor e tenha conforto, estava sendo aplicada a tal da ortotanasia no nosso ramo é dar ao paciente uma morte digna, sem abrevia-la ou prolonga-la, na hora deduzi que ali seria o fim para aquele senhor, pensei em quantas pessoas que precisavam dele sentiriam, pensei em talvez apesar de não lúcido o que estaria se passando dentro dele naquele momento, pensei que ali poderia ser um ente querido meu, fui humana, ao concluir que não somos nada.
Hoje mais que nunca tive certeza do que escolhi seguir, quando vi uma outra paciente que a pouco estava entre a vida e a morte recebendo alta e agradecendo como se aquilo fosse a melhor coisas que alguém poderia lhe proporcionar, tive orgulho de estar ali naquele momento, de ter participado daquela alta, tive acima de qualquer coisa a gratificação de estar começando num futuro incerto, porém recompensador e mais cheio de fé!
E hoje afirmo, cuidar é muito mais que ser gente, como diria Caetano: quando a gente gosta é claro que a gente cuida.
Notei assim, que em tudo existem o bem e o mal, o certo e o errado, o fim e o começo - e às vezes o recomeço também. Sinceramente na vida, nem tudo é sobre o que se ganha e o que se perde, o que parte e o que fica, mas sim o que se deixa! O fim é uma certeza, apesar de não estarmos preparados, a questão não é sobre quantas riquezas ou estatuas você arrecadou nessa vida, mas sim em quantos corações você virou monumento, quantas vezes você somou. Sabe? Cara, a vida não é PORRA nenhuma se você não tocar a vida de mais alguém!

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Permitam-se!

A última vez que estive aqui, acho que deixei expor sentimentos pesados, triste, frios, após inundar esse blog de coisas cheias de amor, deixei que coisas ruins desvalorizasse o peso das coisas boas nessa vida.
Por isso, se me permitem hoje quero rever aqueles conceitos, sim, eu também cometo equívocos, mudo de opiniões, falho, cresço.
Gente, você que supostamente está lendo isso agora, entenda, não me arrependo de ter expressado nada no post anterior, e menos ainda nos anteriores a ele.
Porém se de alguma forma minhas palavras cuspidas possam fazer sentido na vida de alguém aí, eu quero me retificar, e hoje vos digo: Amar não mata, amar é bom, amar é doce, amar é o que move o mundo, o que faz sofrer não é o amor, é as coisas negativas ao redor dele.
Então, hoje por meio desse pedacinho virtual eu quero desejar a vocês, a nós.
Que não nos deixemos bloquear, que a gente se permita chorar, gritar, lembrar, doer, sentir falta, que a gente tenha tempo, e se permita perder, que a gente aprenda que não devemos esperar dos outros atitudes nossas, somos todos humanos e estamos suscetíveis
a erros, que a gente possa enxergar o lado bom de tudo, que a gente aprenda a perdoar. E que a gente aprenda que contos de fadas não existem, mas a sua história pode ter quantos capítulos fantásticos você quiser!
Mas que antes e acima de tudo permitam-se SENTIR de novo!